>
Colaboradores

A mãe no mercado de trabalho: entenda a situação hoje

Por muito tempo, as mães tiveram que enfrentar o preconceito no mercado de trabalho. Descubra como a situação está sendo revertida hoje.

O segundo domingo de maio marca, anualmente, o dia das mães. Desde que o mundo é mundo, elas sofrem com o preconceito e com constrangimentos nos ambientes profissionais por conta da maternidade. Porém, principalmente nos últimos anos, pudemos observar um movimento bastante positivo de reversão desse tipo de comportamento. Mas, então, como estão as mães no mercado de trabalho hoje?


Para entender qual é o status atual, primeiro precisamos entender os motivos por trás do preconceito velado. 


O preconceito com a maternidade no mercado de trabalho

Conciliar a vida profissional e a vida pessoal nunca foi uma tarefa fácil, mas ela é ainda mais complicada para as mães no mercado de trabalho. Enquanto os homens sempre foram vistos pela sociedade como os provedores da família, a mulher sempre esteve no papel de cuidadora da casa e das crianças. 


A sociedade sempre viu com maus olhos a mãe que deixava de estar com os filhos ou de cuidar da casa para optar se manter em um ambiente de trabalho, sendo diariamente julgada por isso. Há, ainda, a falta de compreensão por parte das próprias empresas que encontram barreiras estruturais e desafios constantes simplesmente por serem mulheres.


É comum, inclusive, conhecermos histórias de mulheres que tiveram suas licenças-maternidade de direito, mas logo após a volta para o trabalho, foram desligadas da organização. 


De acordo com o Panorama Mulher 2019, da Talenses em parceria com o Insper, apenas 13% das empresas do Brasil contam com uma mulher em sua presidência. Apesar dos números ainda não serem tão animadores, já temos indícios de que a mentalidade das empresas em relação às mães no mercado de trabalho está mudando. Veja como:


A mãe no mercado de trabalho hoje

A diversidade é uma pauta que está sendo cada vez mais trabalhada pelas empresas, muitas vezes, sendo colocada até mesmo como uma prioridade. Quando falamos sobre diversidade, falamos sobre diversidade de gênero, de cultura, de religião, de raças, crenças e etnias. 


Enxergar a mãe no mercado de trabalho como parte integrante e essencial das empresas, assim como qualquer outro tipo de colaborador, é o trabalho que vemos estar se disseminando pelo mercado. E o melhor de tudo: enxergando a realidade por trás das necessidades específicas que as mães têm e levando sempre em consideração que isso é o que pode, até mesmo, garantir uma visão diferente do mundo e de diversas situações que podem contribuir para a empresa como um todo e para o seu crescimento. 


Hoje, apenas 14% das brasileiras afirmam não querer ter filhos, de acordo com a pesquisa A Mãe no Mercado de Trabalho, de 2019, do Mulher360. Como deixar de fora das empresas uma parcela tão grande da nossa sociedade? A inclusão não é apenas um diferencial, é uma necessidade e um direito da mãe e da mulher. 


Temos um longo caminho a ser percorrido, mas o horizonte é positivo! As iniciativas dentro das organizações são realizadas com cada vez mais frequência e o mindset está mudando. Nos resta aguardar e fazer nossa parte frente a essa nova realidade. 


Para ler mais artigos como este, continue acompanhando o blog da Alymente.

Nadjine Hochleitner Terhoch
Jornalista e apaixonada por fotografia e literatura.